Fábrica Lumière

Este blog nasceu num café-bar chamado "Vertigo", em Lisboa. Pensámos logo que esse nome era um sinal... Só podia. Adoramos "fazer filmes", essa é que é a verdade! Mas inspiramo-nos sempre nos originais. Se a amizade morresse, sobraria inevitavelmente a paixão pela sétima arte que nos une.

março 15, 2005

Janela Indiscreta 10



Assault on Precinct 13 - 2005

Mito Urbano 1: Filme de gajos aos tiros uns aos outros é...filme para gajos
Mito Urbano 2: Um remake fica sempre a milhas do original
BULLSHIT!!!!

Na verdade, devo confessar que eu pensava assim. Aliás, nem me dei ao trabalho de investigar o que quer que fosse sobre este remake (que chega às nossas salas já em Abril). E porquê? Duas palavrinhas apenas: John Carpenter.
Eu juro que andava ainda na primária, o filme era "não aconselhável a menores de 18", numa altura em que os porteiros pediam MESMO o BI à porta. De mão dada com o papá, e depois de muita insistência com o porteiro, lá assisti...a esta orgia de carne perfurada por balas, uma carnificina non-stop, numa época em que ainda nem se sonhava com recordes de mortes por minuto (quais Rambo quais Comando, quais carapuça!).
O filme, o segundo na carreira do Mestre, era, desde logo, quase um remake: uma assumida homenagem a Rio Bravo de Howard Hawks.
Quase 30 anos depois, a nova versão está, desde já...no meu Top 5 de 2005, logo a seguir a Saw (mesmo mesmo a morder-lhe os calcanhares!).

Ficha rápida: Jean-François Richet realiza, com a ajuda de 3 pesos ultra-pesados, Ethan Hawke, Laurence Fishburne e Gabriel Byrne.
Porque é que é melhor que o original? A ousadia de alterar as linhas mestras do primeiro, sem exageros, mas com uma dose brilhante de criatividade.
Está lá a mesma velha esquadra, nº13, a um dia de fechar portas. Desta vez o Sargento é branco (Hawke) e o condenado mau-como-as-cobras é negro (Fishburne). O golpe de mestre reside na mudança de papéis dos invasores. Desta vez, no lugar do exército de drogados em transe, armados até aos dentes, Richet oferece-nos a elite da polícia nova-iorquina, ou seja, uma brigada inteira de operações especiais, todos corruptos, liderados por Gabriel Byrne, com uma única missão: eliminar Fishburne antes que este os entregue a todos em tribunal e já agora, os restantes ocupantes da esquadra por serem testemunhas incómodas.

Temos então uma velha esquadra sitiada na noite de ano novo, que devido a um tremendo nevão, recebe um grupo de prisioneiros indesejáveis só por uma noite. A esquadra iria fechar no dia seguinte, por isso não tem telefones, não tem armas e só tem o Sargento de serviço, mais um velho polícia à beira da reforma (regresso de Brian Dennehy) e duas civis.
Quando as coisas começam a aquecer, o sargento vê-se obrigado a armar os prisioneiros e as duas mulheres, com tudo o que tiver à mão que possa fazer mossa (neste caso, sangue).
Oito pessoas contra uma brigada de elite, com óculos visão-nocturna e toda a parafernália high-tech que se possa imaginar. O que falta? AH! Mais um secundário de luxo, John Leguizamo como prisioneiro junkie latino e...duas mulheraças de todo o tamanho! Maria Bello, (a loura dona do Coyote Bar) e...Drea de Matteo!! Essa mesmo! a Adriana dos Sopranos, com metro e meio de pernas escondidas por uma mini-mini-saia, a transpirar sexo por todos os lados, ao mesmo tempo que despacha inimigos a tiro ou à facada.
Tem romance? Era para ter, porque há sedução marota entre Hawke e uma das mulheres (não digo qual), mas o realizador tem uns "cojones" de todo o tamanho ao "assassinar" o par romântico, com a eliminação (execução, é mais o termo) de um dos apaixonados.

Vale por Laurence Fishburne, mais cool que um esquimó a mijar cubos de gelo (isto é elogio) mas fundamentalmente por Ethan Hawke, dos meus favoritos desde Gattaca, Training Day ou dos obrigatórios Before's (Sunrise e Sunset), que mete todos os Jude Laws, Phoenixs e Clive Owens da moda, no bolso. Até à próxima, que vou ver isto outra vez!

5 Comments:

At 11:02 da manhã, Blogger Amélie said...

Mário, concordo com o comentário sobre o Ethan, gosto do Gabriel Byrne, que é sempre fantástico no papel de duro mauzão. Quanto ao filme não faz muito meu género, mas até me despertaste o interesse...

 
At 1:14 da tarde, Blogger Roxanne said...

Mário, a mim não me apanhas que eu é mais musicais e lágrimas! Com pouco sangue, se faz favor... ;-)
Quanto aos actores o meu favorito é o John Leguizamo, que espero ainda ver em altos voos...
Beijinho

 
At 3:13 da tarde, Anonymous Anónimo said...

parabéns a ti e aos teus companheiros do blog, reconheço-te assim que leio as tuas primeiras palavras, inconfundíveis...

 
At 6:48 da tarde, Blogger Dinai said...

Miúdo, muito bem. Muitos parabéns e já sabes: cá estarei de vez em quando.
Jitos
Del

 
At 6:49 da tarde, Blogger Lolita said...

hammmmmm! hammmmmmm! Posts pequenos...posts pequenos... hammmmmmm! hammmmmmmm!

 

Enviar um comentário

<< Home