Fábrica Lumière

Este blog nasceu num café-bar chamado "Vertigo", em Lisboa. Pensámos logo que esse nome era um sinal... Só podia. Adoramos "fazer filmes", essa é que é a verdade! Mas inspiramo-nos sempre nos originais. Se a amizade morresse, sobraria inevitavelmente a paixão pela sétima arte que nos une.

março 28, 2005

Barreira Invisível 4



Saí da sala verdadeiramente desconsolada depois de ver Birth.
Se há coisa que me angustia no cinema é ver uma boa ideia ser completamente arruinada. Neste caso, com a reencarnação não se brinca, nem com uma actriz como Nicole Kidman a servir de cabeça de cartaz num filme pretensiosamente mal filmado, mal escrito e mal conduzido. Isto não se faz.
É como prometer um doce a uma criança e depois dar-lhe um prato de brócolos.
Tivessem servido a ideia original ao Shyamalan e ele teria arquitectado a mais bela ementa cinematográfica dos últimos tempos. A ideia? Magnífica. Uma bela viúva que não ultrapassou a morte do marido encontra-se ao fim de dez anos noiva de um antigo apaixonado, quando um miúdo de dez anos aparece na sua vida afirmando ser uma reencarnação do seu falecido e muito amado marido...
A partir daí Birth poderia ter sido uma bela obra de arte. Não é. Dá-me ideia que o realizador, Jonathan Glazer, foi buscar inspiração a uns quantos realizadores e depois fez uma espécie de "bolo dos tolos", uns planos à la Oliveira, uns cortes à la M. Night, umas penumbras à la Lynch, uns olhares à la Amenabar... Desconexo, orfão de ADN, falso na maneira como nos dirige para um vácuo de simbolismo avulso.
É pena.

5 Comments:

At 10:33 da manhã, Blogger Roxanne said...

Quando li pela primeira vez a história do filme também achei que era original e cheia de potencialidades...pelo vistos não correu bem, acontece.
Beijinho

 
At 2:53 da tarde, Blogger Aliggator said...

opá...eu discordo!! Eu gostei....
da cena de sexo da Nicole...
da Nicole na banheira...

 
At 2:56 da tarde, Blogger Sony Hari said...

Respeito muito a tua opinião, mas vou ver para depois trocarmos impressões.

 
At 11:50 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Eu também gostei da cena da banheira! Por acaso foi a única que me despertou do sono dos justos por que passei a ver esta pepineira!

 
At 12:01 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Porquê tanta censura?
Isto não é um blog público?

 

Enviar um comentário

<< Home