Fábrica Lumière

Este blog nasceu num café-bar chamado "Vertigo", em Lisboa. Pensámos logo que esse nome era um sinal... Só podia. Adoramos "fazer filmes", essa é que é a verdade! Mas inspiramo-nos sempre nos originais. Se a amizade morresse, sobraria inevitavelmente a paixão pela sétima arte que nos une.

fevereiro 18, 2005

Amor de Perdição 2

A minha memória é extremamente selectiva (para não dizer preguiçosa), especializada em momentos singulares. Um desses momentos aconteceu no Saldanha Residence, numa sala de cinema. Não me lembro da hora da sessão, mas recordo que estava com os meus tios. A alguns minutos da tela se iluminar, não sabia ainda o título do filme e tão pouco se era aconselhável vê-lo ao lado dos meus tios.

“As Pontes de Madison County”, o filme dessa noite, é de 1995. Os protagonistas, Meryl Streep e Clint Eastwood (que meteu as mãos na realização, produção e até na música), encheram o ecran com uma performance, quanto a mim, irrepreensível. Francesca e Robert, os nomes dos personagens, ela proprietária de uma quinta em Iowa e ele fotógrafo da National Geographic, foram amantes durante 4 dias, condensando neste parco período, todas as etapas de uma história de amor: a sedução, a paixão, o beijo, o sexo, o desespero, a despedida.

No escuro da sala, completamente imóvel na cadeira, apeteceu-me chorar. Não por causa da separação de Robert e Francesca, que me parecia quase inevitável, mas por mim, por ser incapaz de acreditar que se pode ser tão imensamente feliz.

7 Comments:

At 12:09 da tarde, Blogger Roxanne said...

minha querida, boa estréia aqui na Fábrica. O filme é fantástico(o melhor romance moderno que conheço) e o Clint, esse dispensa elogios. Quanto ao choro no escuro é quando me sabe melhor chorar, com ou sem conhecidos ao lado. Beijinho

 
At 12:17 da tarde, Blogger Aliggator said...

Mas separação inevitavel porque raio?!?!?!
Que mania :)
Ela tinha era de mandar tudo às urtigas e pirar-se com o Clint!!

Falta de "cojones"...

Muitos parabéns Soniazita :)

 
At 12:34 da tarde, Blogger Sony Hari said...

Companheiros de escrita, obrigada pela recepção calorosa. Beijinhos

 
At 5:41 da tarde, Blogger Toix said...

Ora cá está um dos filmes da minha vida... E não choraste!? Eu, que me comovo por tudo e por nada, saí de rastos.

 
At 6:00 da tarde, Blogger Sony Hari said...

Chorei e foi um choro daqueles de lavar os canais. E fiquei aliviada ...

 
At 10:50 da tarde, Blogger g. said...

eu sei que não se pode colocar o livro todo dentro de um filme e, neste caso ler o livro antes de ver o filme deu mau resultado. o filme ficou a saber a pouco, com o livro a imaginação fluiu e as letras transformam-se em fotogramas a cada parágrafo. mas... gostei não fosse o Clint um dos meus favoritos

 
At 2:13 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Aprendi muito

 

Enviar um comentário

<< Home